Quando a Autoridade é Bandida


Criamos cidades, países, sistemas de governo e muitas armas.

Quanto mais acertos tivermos, mais saudável estará a sociedade, e menos armas teremos.

Mas precisa haver este propósito – ter uma sociedade saudável.

Mais armas e mais polícia, nunca serão a solução para recuperar quem já virou bandido, e nem evitará que outros surjam no seio de nossa sociedade.

Logo, tudo o que precisamos, é de governantes que se proponham a curar o males sociais que provocam o crescimento da bandidagem,  não de políticos que também são bandidos, corruptos e tiranos, que fazem a Secretaria de Segurança Pública gastar mais dinheiro do que todas as outras pastas de um governo (como acontece com o orçamento do Estado de Minas Gerais hoje, por exemplo, que usa 24% de sua arrecadação com Segurança Pública).

Prometer mais Polícia nas ruas, é um sinal claro de que falamos do segundo tipo de político que citamos aqui.

Achar que se acaba com a criminalidade na bala, conseguiu apenas, triplicar a quantidade de crimes e detentos em nossas cidades nas últimas décadas, visto que esse costume de privilegiar a violência ao invés da Educação, se tornou padrão na prática dos partidos e governantes brasileiros.

Sem uma mudança radical nesse costume, teremos várias outras gerações atingidas.

E nesse ritmo em que estamos, passaremos de 500 mil detentos que temos hoje, para cerca de 1 milhão, em menos de 5 anos.

E aí? Como será na próxima eleição? Será que você se lembrará disso, quando for votar?

Paul Sampaio – 15 de janeiro de 2016 – 11:38 – 23º


detentos, cela, presídio, tv humana, rede sampaio


 

 

Anúncios