Do Ministerialismo como Sistema Político


O Executivo não existe neste sistema.

O Legislativo é formado por representantes eleitos pelo povo. Seu papel é de levar as demandas mais imediatas da sociedade e seus segmentos, e participar do planejamento e execução dos projetos junto aos Ministérios.

Os Ministérios têm suas decisões tomadas por um Conselho de Ministros, formado por profissionais concursados da área, que se destacaram por seu trabalho e pelos resultados de sua obra pública, e que por isso, chegaram ao posto de Ministro.

Cada Ministério tem um Ministro que é responsável pela representação da Casa, que é escolhido anualmente por meio de votação dos Ministros de todas as áreas do Ministério, por critérios de competência e anos de serviço. Não há reeleição para o posto de Ministro. O Ministro poderá ocupar o cargo apenas três vezes durante sua vida pública.

Da mesma maneira acontece com o Primeiro Ministro, que representa o país.  Ele é escolhido anualmente por meio de votação dos Ministros de todas as áreas do Governo, por critérios de competência e anos de serviço. Não há reeleição para o posto de Primeiro Ministro. O Primeiro Ministro poderá ocupar o cargo apenas três vezes durante sua vida pública.

O mesmo sistema aplicado à União, também é aplicado nos Estados e Municípios.

Os Ministérios nesse caso, são representados pelas Secretarias, e os Ministros são representados pelos Secretários (papel executado por Governadores e Prefeitos em outros Sistemas Políticos).

O Primeiro Secretário de Estado e do Município, também são especialistas, tal como acontece nos Ministérios da República, e são eleitos da mesma maneira que acontece nos Ministérios, por voto dos Secretários de todas as áreas do Governo Estadual e Municipal, respectivamente.

O Ministerialismo busca sempre, deixar as decisões de cada área, sob a responsabilidade de especialistas. E o cargo de representação, não significa comando, porque somente as deliberações do Conselho inteiro é que valem. O posto de representação de um Ministério ou Secretaria junto à Imprensa, Sociedade Civil e outros países, tem um papel apenas simbólico. Mas nunca decorativo. Afinal, a pessoa que está lá, tem a incumbência de levar a visão e a opinião de um grupo de especialistas, sobre temas de extrema relevância e de alto grau de complexidade para o entendimento da maioria das pessoas. Por isso, o posto de representação exige alguém a par de tudo o que acontece no Ministério, e capaz de traduzir da melhor maneira possível as questões de sua área para toda a população.

A escolha do representante anual,  procura através do rodízio constante de Ministros, evitar a vaidade e o apego pelo posto, e aumentar a colaboração de todo Conselho, no trabalho de criar as melhores condições de trabalho para o Secretário ou Ministro especialista, durante seu ano de mandato.

Assim sendo, os políticos no Ministerialismo, estão restritos às intermediações entre os Ministérios, Secretarias e a população. São especialistas em Administração Pública, e conduzem as demandas da população de maneira ágil e eficaz junto aos Ministérios e Secretarias, mas não têm qualquer papel decisório.

assinatura digital

Paul Sampaio, perfil, 1  Paul Sampaio – Autor

esplanada dos ministerios

Anúncios