Você lê só as manchetes do jornal e da internet ou lê as matérias também? Você assiste às notícias na TV por inteiro ou só o início? Bem, para os leitores só de manchetes e telespectadores distraídos do resto do mundo, nosso país terá a partir de 1° de janeiro uma ex-guerrilheira marxista como presidente da República e só. Já que foi esse o principal argumento dos mais importantes veículos de comunicação da imprensa escrita e falada do primeiro-mundo. É claro que para os leitores de verdade, estudiosos e investidores estrangeiros bem informados, essa passagem da vida de Dilma Vana Rousseff, nossa primeira presidente mulher, não é nem de longe a coisa mais importante a se saber sobre aquela que comandará a quinta economia do Planeta. Porém, é fato que existem muitos ao redor do mundo que pensam que o Brasil vai ter uma governante ao estilo Hugo Chaves, Evo Morales e Fidel Castro, pelos próximos quatro anos por conta disso.No site da CNN, por exemplo, estampava-se anteontem: “De guerrilheira fugitiva à nova presidente do Brasil”. É claro que quem lesse a matéria toda, ou ouvisse os noticiários (inteiros) na TV, saberia que a dita guerrilheira foi sim uma militante política que enfrentou a dita-dura militar em nosso país, que foi presa e torturada por três anos quando só tinha 19 de vida, e que de lá pra cá muita coisa aconteceu, não só com ela, como com nosso país, depois da redemocratização. Saberia também que ela só se elegeu por causa do apoio incondicional do atual presidente, que goza de enorme popularidade e aceitação em nosso país, e sobre o linfoma e as várias sessões de quimioterapia porque nossa nova presidente passou. Mas saberia principalmente que o Brasil deverá seguir as diretrizes do governo Lula, e que com a maioria no Congresso e a vice-presidência peemedebista de Michel Temer, Dilma terá a governabilidade necessária para manter o crescimento econômico, a credibilidade mundial que possui hoje e a melhora da condição de vida das classes mais baixas da população. A erradicação da pobreza, uma das principais propostas e primeira promessa como presidente eleita, foi assunto na BBC, talvez a mais fiel à realidade da conjuntura político-social em nosso país, até por ter, há tempos, correspondentes permanentes por esse lados. O Washington Post, por sua vez, deve também ser lembrado positivamente, ao citar as palavras do presidente Obama, definindo Lula como “o cara” e “político mais popular da Terra”, e ao escrever sobre os 20 milhões que saíram do estado de miséria e dos 30 milhões que ascenderam à classe média nos últimos anos. Além de colocar, com propriedade, que o Brasil saiu da crise de 2008 mais forte do que entrou, e que será a sede da próxima Copa do Mundo e das Olimpíadas.Já o The New York Times deu ênfase à crescente onda de presidentes mulheres eleitas democraticamente pelo mundo, como Michelle Bachelet no Chile, Cristina Kirchner na Argentina e Angela Merkel na Alemanha. É verdade que a maior parte da mídia estrangeira ainda não dá a importância e a atenção que nosso país merece. Que muitas vezes, só retransmite notícias das agências internacionais. Contudo, é nessas épocas que ficamos mais em evidência. E ontem o mundo acordou sabendo que o Brasil escolheu Dilma Rousseff para ser sua próxima presidente, e ponto final. Se eles sabem o bastante ou não, sobre ela e seu plano de governo, o problema é deles. O Brasil é hoje uma democracia consolidada, um país confiável. Os analistas estrangeiros e até os tucanos concordam com isso (apesar de terem perdido a terceira seguida). E você, brasileiro, que não votou na candidata petista, não precisa ficar com grandes receios sobre nosso destino. Citando nosso ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: “As instituições estão cada vez mais fortes. Se ganhar fulano ou beltrano não vai acontecer nada! Vai continuar o caminho que é nosso, da sociedade brasileira.”

O autor, Paul Sampaio, é filósofo e colaborador do JC

Anúncios

Escrito por Paul Sampaio

PAUL SAMPAIO CHEDIAK ALVES é professor, locutor, apresentador de rádio e TV, web designer e diretor fundador da REDE SAMPAIO de Televisão e Sites.