Um Senado Indecoroso

Diretas Já - ManifestaçõesO primeiro passo deve ser, entender o adjetivo no título do artigo, que quer dizer nesse contexto, a falta de decoro, ou seja, algo vergonhoso, impróprio, inconveniente, escandaloso.

E a questão é : a falta de decoro, e a falta de ética, viraram de novo, uma prática no Congresso brasileiro.

De que adiantou as Diretas, a democratização, o crescimento econômico, o impeachment de um Presidente, a cassação de alguns parlamentares … de que adianta fortalecer as instituições, se voltamos à prática de manter políticos envolvidos nas mais horrendas denúncias, em cargos de comando e liderança, nas principais Casas do Legislativo do País.

Renan-CalheirosColocar na Presidência do Senado do Brasil, um senhor que mostra o dedo indicador, de maneira obscena, em resposta à imprensa sobre as denúncias que o faz aparecer diversas vezes, nos maiores telejornais do país, como um homem envolvido em um verdadeiro lamaçal, é criar um precedente desastroso. É criar um costume. E abrir todas as portas, que nossa Polícia Federal e o Ministério Público já haviam vasculhado e fechado, para toda espécie de corrupção.

Deixar esse senhor lá, é legitimar a impunidade, desacreditar a Câmara Alta, e envergonhar o Brasil.

Ouví-lo discursando então, é a confirmação do descaminho. Diz ele que “a Ética é um meio, não um fim”.

Machiavelli_Principe_Cover_PageEnfim, voltamos a Maquievel. Em 500 anos no tempo. Direto para os conceitos políticos da Idade Média. Onde as Monarquias ainda engatinhavam, e o Príncipe precisava de filósofos para guiá-lo pelas veredas das decisões. O velho marqueteiro político em ação. Dizendo como ludibriar o povo, e conseguir o poder. 500 anos depois, qualquer político corrupto já sabe fazer isso desde pequeninho. Nem precisa de mentor.

Só que hoje, aqui no Brasil, isso está acontecendo com transmissão do Jornal Nacional, com a anuência da Presidente da República e de toda base governista. Ou seja, nossos governantes concordam, e assinam em baixo a permanência desse senhor na Presidência do Senado. Então, fazer o quê ?

congresso1_xeniaResposta : esperar as próximas eleições, e nunca mais elegê-lo para nada. Se ele não estiver lá, já facilita bastante, diminuir seu poder maléfico sob as instituições públicas. E só. Mas, a história prova, que o poder econômico sempre os fará voltar.

Então, só nos resta fortalecer a opinião pública e voltar a sair para as ruas. Quem sabe se umas manifestações por aí … não acabem por derrubar quem a maior parte da classe política quer no poder. Só para lembrar, já pelas próprias instituições, pura e simplesmente, tivemos quedas importantes – Genoino, Dirceu, Demóstenes …

diogenesContudo, muito mais importante do que tirar um homem da Presidência do Senado, é a extirpação do mal pela raiz. Precisamos acabar com esse costume de tirar alguém do comando, que já chafurdava na lama, e colocar outro que vem do mesmo chiqueiro. Precisamos de gente limpa no Congresso, que represente a Ética verdadeira. Aquela em que observamos o nosso querer, adequando-o ao que podemos e devemos fazer em sociedade.

bandeiranteO Brasil precisa de bons exemplos para ser também Ético no coração de seu povo. Ou então, o povo pensará que é assim que também pode, e deve agir. E aí, voltaremos para o Estado mais primitivo da natureza humana – a Lei do mais forte. E essa, definitivamente, não deve ser uma postura de uma República que está prestes a ingressar no Conselho de Segurança da ONU.

Anúncios