Domingo, 2 de setembro

8:42 – 18º

Apesar do friozinho, faz sol na Bela Vista. Já é o terceiro domingo de campanha para mim. E aos pouquinhos, a gente vai lembrando como é que faz.

Lembro da minha primeira investida política. Fui para a porta da Antártica, indústria que ficava perto da minha casa na Mooca, com uma prancheta … como se eu estivesse fazendo pesquisa … kkkkkkk … perguntava pra todos, se eles tinham candidato a vereador. Papo vai, papo vem, e eu logo tirava um santinho do meu pai do bolso … e ele nem imaginava que eu tava fazendo isso. A ideia simplesmente veio à cabeça, e eu fiz. Nunca soube se naquele dia eu consegui pelo menos um voto pra ele. Mas com certeza, sai de lá um homem … apesar dos meus 12 anos de idade. Depois daquele dia, nunca mais tive qualquer receio, de educadamente, parar alguém na rua para interagir.

Meu pai foi candidato outras vezes … participei também de campanhas de outras pessoas … e na minha 12ª … eu posso dizer que … eu acho … que tô pegando o jeito. Paul Sampaio CHEDIAK ALVES ( os nomes que vêm do meu pai em maiúsculo hoje).

Meu pai nunca se elegeu, nem a vereador, nem a deputado estadual. Cansava de falar pra ele, que ele era muito mole ao tentar tirar os recursos necessários pra campanha, dos candidatos majoritários … ricos. Mas na verdade, eu também nunca participei das conversas deles em particular. Nunca soube o quanto meu pai teria que pisar em seus valores morais ( ele sempre foi moralista pra caral… ). Sempre achei que ele estava nos partidos errados. Sempre fechando com caras como o Maluf e o Delfim Neto … contudo … hoje, depois de já ser avô, duas vezes, vejo tudo diferente. Hoje só consigo lembrar as coisas boas dele. Sua honestidade com as pessoas que estavam a seu lado … e uma espécie de humildade que chegava a ser tocante !

Como é gostoso ver que os olhos envelhecem, enxergam menos com o tempo, ganham catarata, e tudo mais … mas o espírito a cada dia que passa, consegue ver mais longe e mais profundamente.

Se um dia eu conseguir ter pelo menos um terço da humildade que meu pai ainda tem, tenho certeza que serei sempre um vencedor. E terei sem dúvida, quando meu dia chegar, um enterro com muitos amigos sinceros, chorando por minha passagem. Eis o maior desafio da vida – vir à Terra e fazer muitos, mas, muitos amigos mesmo.

Ser bem sucedido na vida é algo que, na minha maneira de ver, envolve dívidas de outras vidas, e provas espirituais. Por isso, faz tempo que esse não é mais meu objetivo primeiro. Hoje em dia só peço por força para trabalhar e

A Serenidade necessária
para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
e Sabedoria para distinguir umas das outras.

Anúncios