O coração e o mundo

Há horas em que a pena não quer escrever.

Quando lembramos que a verdadeira tinta vem do coração,

entendemos o porquê.

Talvez o coração estava sem tinta.

Sem vontade.

Com pouca vida.

Mas como tudo se renova,

um dia ele acordou já refeito, e por causa,

do tempo todo calado que ficou,

ele ao invés de falar, grita.

E grita coisas belíssimas.

Coisas de um coração que teve muitos olhos e ouvidos

durante o tempo em recesso.

Viu e ouviu atentamente.

E quando falou, falou bem, e muito. Por todo tempo que estava retirado.

Ele esteve fora e quase ninguém sentiu a falta dele. Mas ele voltou para

isso também, entre outras coisas.

Trabalhemos por um enterro cheio de gente chorando.

Francamente, vir à vida e não fazer amigo nenhum ? Pra que esteve aqui ?

Anúncios